Blogger Subscription

FUNDAÇÃO CULTURAL PALMARES - PRINCIPAIS ENTREGAS

 



Um novo paradigma

 

Desde 2020, a Palmares vem passando por mudanças radicais. O resultado central dessas mudanças é que a Fundação deixou de ser um braço da militância esquerdista e uma filial do movimento negro, como foi durante suas três décadas de existência. Agora, a Palmares é, finalmente, uma verdadeira Fundação Cultural.

 

As mudanças foram profundas tanto nos aspectos administrativo e finalístico quanto nos aspectos conceitual e ético. A Fundação passou a respeitar sua Missão definida em lei, que é a de INTEGRAR o negro na sociedade brasileira, e não incentivá-lo a se apartar do restante dos brasileiros em nome de uma ilusória e deletéria guerra racial.

 

Saindo de aluguel superfaturado

 

Em janeiro de 2021, a Palmares foi retirada de um prédio na Quadra 2 do Setor Comercial Sul, área conhecida por ser zona de prostituição e de tráfico, sendo extremamente perigosa a circulação de pessoas após às 19h00. Essa localização era absolutamente incompatível com uma Fundação Cultural cuja missão deveria ser a de atender ao público.

 

Além disso, a Palmares pagava, segundo laudo da Caixa Econômica Federal, um aluguel de três a quatro vezes superior ao melhor preço possível de mercado naquela região degradada. Com a mudança para um prédio da União na Asa Norte, cedido pela Empresa Brasileira de Comunicação (EBC), a Palmares parou de desperdiçar mais de R$4 milhões anuais em aluguel e condomínio, passando a aplicar esse montante em suas áreas finalísticas.

 

Conquista de uma sede própria

 

A Palmares, pela primeira vez em sua história, está no caminho de conseguir sua sede definitiva, pois as negociações conduzidas pelo gabinete da presidência da Fundação e seu departamento jurídico firmaram um contrato de cessão do prédio da EBC por um período de dez anos, com a possibilidade de cessão definitiva.

 

Reforma da nova sede

 

Em outubro de 2021, a Diretoria Colegiada da Fundação aprovou a contratação de uma empresa especializada para a execução das reformas na nova sede da Palmares. Ao término das reformas, a Palmares terá, pela primeira vez em sua história, uma estrutura que permitirá honrar o nome de “Fundação Cultural”, posto que terá espaços de estudos, convivências, cursos e exposição de seus acervos.

 

Homenageando negros de valor

 

Em novembro de 2020, a Palmares, por meio de uma Portaria, normatizou, legitimou e moralizou a Lista de Personalidades Notáveis Negras da Fundação, colocando como critérios absolutos a homenagem póstuma e a relevância da contribuição cultural e histórica do homenageado.

 

Por esses novos critérios, vinte e sete nomes foram excluídos da Lista, a exemplo do triplo homicida Madame Satã, que, além dos assassinatos, acumulou durante sua vida dezenas de processos por atos violentos e agressões.

 

Tal iniciativa moralizadora permitiu que negros de valor e com contribuições exemplares em diversas áreas da vida humana pudessem ser devidamente homenageados.

 

Acabando com balcões de negócio

 

Em janeiro de 2020, iniciou-se uma nova política de aplicação do dinheiro público na Palmares. As excessivas contratações sem licitação e sem pregão, as quais privilegiavam integrantes do movimento negro e artistas afamados, foram extintas.

 

Em substituição ao balcão de negócios, iniciou-se a realização de editais de seleção pública, fazendo os recursos chegarem a um maior número de pessoas.

 

Destruindo a ficção do “valioso acervo” da Palmares

 

Para avançar rumo ao futuro, é preciso desmistificar o passado. Portanto, em junho de 2021, a Palmares lançou seu Relatório Público 01, evidenciando que o propagado “riquíssimo acervo bibliográfico da Palmares” era apenas uma ficção. Constatou-se uma inadequação temática, além do fato escandaloso de que o acervo é estacionado nos 1980. Ou seja, nunca houve nas gestões anteriores a preocupação de atualizar o acervo e nem de transformá-lo em referência para estudantes e estudiosos.

 

Também foi feito, em outubro de 2021, um levantamento das peças museológicas e iconográficas da Fundação, o acervo se revelou pífio e absolutamente irrelevante do ponto de vista de representação da riqueza e variedade das artes e produções da cultura de temática negra.  

 

Trazendo o acervo para o Século 21

 

Em dezembro de 2021 foi lançado o Relatório Público 02, anunciando a compra de R$250 mil em livros para dar início à atualização do acervo bibliográfico. A Fundação também iniciou no período uma série de negociações com outras instituições culturais visando o enriquecimento do acervo da Palmares.

 

Software de gerenciamento

 

Para ser uma verdadeira instituição cultural, a Palmares precisa ter instrumentos de gerenciamento. Desse modo, em janeiro de 2022, a Palmares retomou o uso do software Sophia Biblioteca para gerenciamento do acervo bibliográfico da entidade.

Com o Sophia, os usuários e a equipe técnica da instituição poderão pesquisar livros físicos e documentos digitais. Também poderão renovar e fazer reservas de materiais, além de pesquisas in loco ou remotamente.

 

Treinamento de pessoal

 

Visando capacitar suas equipes, a Palmares vem realizando cursos internos nas mais diversas áreas. Exemplo são os cursos de Processamento Técnico e de Treinamento do Software de Gerenciamento de Acervo Sophia, voltados para o cuidado do acervo; e a Elaboração de Normativas Internas, visando capacitar os técnicos da Fundação.

 

Renovando a TI


O Departamento de Tecnologia da Informação da Palmares recebeu, em outubro de 2021, os serviços de uma empresa especializada para fornecimento de Solução de Backup Corporativo de Dados. A contratação abrangeu suporte técnico, treinamento, instalação e serviços especializados de solução de proteção coorporativa de antivírus para estações de trabalho e servidores.

 

A Palmares também empenhou aproximadamente 1 milhão de reais para a compra de novos equipamentos para a TI, visando a proteção de dados e o perfeito funcionamento da Fundação.


Nova identidade visual

 

Em dezembro de 2021, a Palmares apresentou aos cidadãos brasileiros o novo logotipo da instituição, bem como seu novo Manual de Identidade Visual. O objetivo do novo material, conceitualmente calcado nas cores nacionais e na bandeira do Brasil, é apresentar a Palmares como uma instituição que pertence a todos os brasileiros, e não a um gueto.

 

Reativação do Conselho Curador

 

O Conselho Curador, órgão colegiado da Palmares, após quatro anos desativado, voltou a funcionar em março de 2022. O Conselho tem por objetivo a formulação de propostas sobre questões relevantes para a promoção e preservação dos valores culturais, sociais e econômicos decorrentes da influência da população negra na sociedade brasileira.

 

Centro de Estudos Machado de Assis

 

Entre junho e outubro de 2021, a Palmares desenvolveu o projeto CEMA - Centro de Estudos Machado de Assis, que abrigará o acervo bibliográfico da Fundação, e terá espaços de lazer, convivência, leitura e exposição, a serem instalados no andar térreo da nova sede. O projeto de arquitetura e execução do CEMA já estão finalizados, e farão parte da reforma da sede.

 

Editais em prol da cultura e da integração

 

Em 2020 e 2021, os editais de chamamento público distribuíram 480 prêmios. Esses editais, por meio de divulgações dos trabalhos premiados e da replicação de ideias e conhecimentos, também atingiram parcela significativa da sociedade brasileira.

 

O Concurso Arte do Quilombo, criado em julho de 2020, premiou 91 iniciativas culturais. A Palmares voltou a repetir o edital em 2021, premiando 152 brasileiros.

 

Em julho de 2021 foi lançado um edital que selecionou 200 membros de Comunidades Remanescentes de Quilombo e Povos de Terreiro para realizarem curso online de capacitação em estética feminina, com fornecimento de material básico para o exercício da profissão.

 

Em outubro de 2021, houve o Edital Vozes Regionais, premiando 26 iniciativas culturais em vídeo e podcast.

 

Ainda em outubro, a Palmares lançou o 1º prêmio de Fotografia Palmares – Amplitude e Dignidade. O certame premiou cinco fotógrafos de todas as partes do país. As 125 imagens premiadas estão à disposição da sociedade brasileira no site oficial da Palmares.

 

Quilombos Certificados

 

Uma das atribuições legais da Palmares é a certificação de Comunidades Remanescentes de Quilombos. Até março de 2022  já foram emitidas 2.839 certidões.

 

Cestas básicas

 

Em 2020, a Palmares atuou em cooperação com o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH) na distribuição de 73.641 cestas de alimentos.

 

Em 2021, por intermédio da Ação de Distribuição de Alimentos a Grupos Populacionais Específicos (ADA), do Ministério da Cidadania, a Palmares coordenou a distribuição de 280.499 cestas de alimentos.

Tags

Postar um comentário

0 Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.